CARCÉRE DA ALMA

 
 
CÁRCERE DA ALMA
 
Sinto-me fraca e não
tenho forças para sair
meus olhos embaçados
 afugentam o meu
corpo amórfico…
tua risada estridente é
um açoite em minha alma
onde eu fui a tua aleivosia
em momentos de outrora
presa em ti estou agora
como serva nessa vida
em sofismas e com algor
onde me sinto fugidia
em silêncio eu vou
esmaecendo a minha dor…
enraizada e sepultada
dentro daquela masmorra
retornei é só por alguns
instantes me desnudo
das vestes carnais levito
ebriamente no infinito
me liberto e vou embora!
 
Lu Lena
 

Anúncios

Obrigada pela visita. Volte sempre!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s